sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

" Breve História das Minas Gerais".

. Em 1780, o governador da capitania de MG, Dom Rodrigo José de Menezes, (Conde de Calveiros) desejando melhorar a fiscalização do "Quinto", viajou pelos sertões circunvizinhos da Mantiqueira, pelas vertentes do Rio Paraibuna e nascentes do Rio do Peixe, onde havia notícia de faisqueiros de bom rendimento e que o extravio do ouro era grande, através da Serra do Ibitipoca, tendo encontrado alguns sitiantes nas proximidades do Caminho Novo. Mandou Francisco Antonio Rabelo, para examinar a região e outras matas gerais da Mantiqueira abaixo e procurar meios seguros de se impedir extravios de ouro. Rabelo informou que vários moradores do referido caminho haviam feito roças, paióis e aberto caminhos para dentro do sertão proibido, por onde poderia quem quisesse, passar sem encontrar patrulha. No ano seguinte (1781) o governador determinou a Tiradentes que fiscalizasse tais caminhos nas margens do Rio Preto sua travessia para o Rio de Janeiro. Ainda no final do século XVIII foi o Registro de Rio Preto, constituindo-se no segundo caminho para o Rio de Janeiro. Até 1800 o local era chamado de passagem do Rio Preto, ligado a Conceição de Ibitipoca, na comarca de Rio das Mortes. A mineração dessa região foi efêmera com o esgotamento rápido das jazidas. Passando automaticamente á atividade agrícola e pastoril, como havia autorizado o governador Rodrigo de Menezes. Mas a marca urbana da mineração ficou gravada nas paisagens de Conceição de Ibitipoca, Rio Preto e Santa Rita de Ibitipoca. ( Antonio de Paiva Moura.)

Pesquisar este blog

Carregando...

Histórico de Rio Preto. José Marinho de Araújo 1937

Minha foto
Santa Rita de Jacutinga, MG, Brazil
Trago meu estudo histórico fotográfico acompanhando os escritos de meu sogro: José Marinho de Araújo. Foi um grande historiador que viveu em Santa Rita de Jacutinga, Minas Gerais.1905/1965. Pretendende-se divulgar seus conhecimentos e produções literárias para gerações futuras, como era seu desejo. A família de José Marinho assim o faz, atendendo aos seus anseios. Pela família: Fatima Helena Oliveira de Araújo e Araújo A você Marilene Marinho Nogueira, por seu espírito grandioso,sua visão ampla,sua magnitude pessoal, permitiu-nos essa grande realização: a abertura dos arquivos de José Marinho de Araújo. Só você mesma! Por: Fatima Helena Oliveira de Araújo e Araújo.

Seguidores